//
Você está a ler ...
Geral

A Fáscia

Todos nós sabemos que o ser humano só sobrevive devido à existência de oxigénio na Terra. Porém, raramente nos apercebemos da sua importância: se estivermos perante uma situação onde este elemento escasseie, aí sim, sentimos a sua falta. Mas só nessa altura; de resto, passa-nos completamente despercebido.

O mesmo acontece com a fáscia.

Tal como a maioria das coisas que integram grande parte da nossa vida, só nos apercebemos dela quando há problemas. Ninguém repara na fáscia até sentir problemas miofasciais – só quando a disfunção se instala é que se procuram soluções, e se dá a devida atenção a algo que sempre esteve ali.

A fáscia é a base do nosso corpo. Trata-se de um tecido que liga todo o corpo humano, da cabeça aos pés, sem interrupções, envolvendo todo e qualquer tecido, células, músculos, ossos, órgãos e fibras. Porém, a fáscia não se mantém estanque: sofre constantes alterações ao longo do tempo. É composta por elastina (que atua como um “elástico”) e colagénio (que atua como “cola”), criando a conexão e permitindo o funcionamento entre as estruturas do corpo humano.

laranjaPara facilitar a compreensão do que é e qual a importância da fáscia no corpo humano, a Dra. Ida Rolf, doutorada em Química Biológica pela Universidade da Colômbia e especialista nas áreas de medicina homeopática e quiroprática, osteopatia e yoga, evocou a imagem de uma laranja. Nessa fruta, a “fáscia” seria a película que forma, separa e, ao mesmo tempo, une cada um dos seus gomos. É ela que cria as condições estruturais que dão forma à laranja – e nos permite reconhecê-la como tal. No corpo humano, a fáscia tem a mesma função, com a diferença básica de que o corpo humano é uma estrutura viva em constante movimento.

Infelizmente ainda existe muita falta de informação acerca da fáscia: sabe-se hoje que tem um papel determinante no estado de qualquer parte do nosso corpo. Os testes que atualmente se fazem, como os raios X, TAC e muitos outros, não mostramas restrições miofasciais e, dessa forma, o paciente não obtém um diagnóstico completo acerca da causa das suas dores, e acaba por não receber o tratamento mais adequado e eficaz para o seu problema.

Muitas vezes uma dor no ombro pode ser uma manifestação de um problema existente em, outra parte do corpo, por exemplo uma bacia mais baixa ou uma perna curta. Neste caso, tratar o ombro não serve de nada, e os resultados serão temporários, uma vez que a causa não foi resolvida. Associados à fáscia surgem então disfunções como a fibromialgia, dores crónicas, dores miofasciais, problemas de circulação e de drenagem e escoliose. A adicionar ao traumatismo físico, também o stress emocional ou as emoções negativas podem ser guardadas e acumuladas na fáscia durante anos, causando graves perturbações no futuro.

Ficou curioso?fascia

Descubra mais sobre a fáscia no Workshop introdutório que decorrerá em outubro, na Bwizer.

Em setembro, aprofunde os seus conhecimentos com o curso de Indução Miofascial: Técnicas Estruturais.

E compreenda a importância de tratar a causa do problema, em alternativa aos sintomas de dor.

Discussão

Ainda sem comentários.

Participe! Deixe um comentário ...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: