//
Você está a ler ...
Bwizer, Cursos, Formação, Geral, Hugo Belchior

Acha que em Portugal se produz conhecimento de qualidade? | por Hugo Belchior

untitled_design_56__0621062717.pngQuando, em 2008, começámos a Bwizer, houve algo que decidi logo fazer: apostar em conhecimento português e em formadores portugueses.

Fazia-me confusão que a indústria da formação avançada na área da fisioterapia (área onde começámos) dependesse quase em exclusivo de formadores internacionais quando, ainda por cima, os fisioterapeutas portugueses se gabavam de grande qualidade quando comparados com os seus congéneres internacionais.

As entidades que na altura estavam no mercado da formação traziam formadores estrangeiros e, por norma, não apostavam em lançar formadores portugueses.

Aliás, se reparar, ainda hoje a maior parte das empresas o que faz é apenas importar conhecimento e vendê-lo cá. E porquê? Porque é infinitamente mais fácil fazer isso (não custa mais do que um par de email para negociar datas e honorários) do que identificar, desafiar, preparar e ajudar a crescer formadores novos, formadores portugueses.

Acontece porém que se dizíamos que a nossa missão era a de contribuir para a evolução dos nossos clientes, não deveríamos ser os primeiros a aplicar esses princípios?

Foi por isso, e por considerar que havia – e há – conhecimento de muita qualidade em Portugal, que desde o primeiro dia começámos a apostar em formadores portugueses, muitos deles pessoas não “famosas” no sector, antes de começarem.

E se hoje, modéstia à parte, muito graças à Bwizer, haver formadores portugueses na fisioterapia e no desporto não choca nada, nem sempre foi assim. No começo da nossa vida, fomos muito criticados e olhados com sobranceria e até algum desprezo. Afinal, a razão dessa atitude não era outra que não o medo de quem prefere o marasmo de águas não agitadas, para assim manter o status quo.

A história, contudo, não costuma sorrir a quem não evolui e, felizmente, os tempos vieram dar razão à nossa aposta de apostar em conhecimento português e em formadores nacionais.

Para além de termos lançado imensos novos formadores novos, conseguimos garantir formadores portugueses em conceitos internacionais que nunca tinham apostado em pessoas deste cantinho, nomeadamente a Kinesio, a APPI, Dynamic Taping e FT Coach, por exemplo.

Olho para este trajecto, com milhares de alunos já formados por formadores portugueses que lançámos “do zero”, e não sinto outra coisa que não orgulho e satisfação, não tanto pelos resultados empresariais mas pelo facto de termos provado que, se pode ser importante importar conhecimento – e é – não temos que nos cingir a isso, antes temos que ter a ambição de exportar aquilo que sabemos. E a verdade é que, apesar da nossa dimensão relativa e dos nossos parcos recursos, Portugal tem muito para ensinar por esse mundo fora.

coiseConto consigo nesta jornada que, em bom rigor, só está a começar.

Um abraço do,

Hugo Belchior

– CEO e fundador da Bwizer

  1. Repare na nossa oferta formativa e constate aquilo que aqui disse: https://www.bwizer.com/pt/formacoes.html

Discussão

Ainda sem comentários.

Participe! Deixe um comentário ...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: